José Raposo

José Raposo

Reza a lenda que foi com «Os Sonhadores» do Bertolucci que abriu os olhos para o mundo do cinema, área onde tem vindo a exercer atividade enquanto critico em publicações como a Umbigo, C7nema.net, Máquina de Escrever ou Arte Capital. Cinéfilo por vocação e melómano por paixão, com particular queda para sonoridades desagradáveis, mais próximas do pesadelo do que propriamente do sonho, acredita que a morte do cinema não passa de um boato manhoso. Para a LOUD! vira o espelho ao contrário: escreve sobre música com as imagens como pano de fundo. Não tem dúvidas de que o cruzamento de Sleep com Harmony Korine foi dos acidentes mais importantes da arte contemporânea.