NÚMERO ACTUAL

A primeira LOUD! de 2019 tem tendências fortemente progressivas! Acima de tudo, porque os reis do metal progressivo são o grande destaque – os Dream Theater regressam aos discos com «Distance Over Time», dois anos depois de «The Astonishing», e foi com esse pano de fundo que o nosso Nelson Santos se sentou com o James Labrie para uma conversa extensa e honesta, onde o vocalista até conseguiu eleger o seu álbum favorito da banda. Conseguem adivinhar qual é?
 
– Mantendo a toada progressiva, um cavalheiro que nos disse logo que não considera a sua música como tal. Irreverente e eloquente como sempre, é o Steven Wilson a que já nos habituámos.
 
– Porque esta altura é a apropriada para balanços, que são também potenciais fontes de (re)descobertas musicais, na LOUD! #214 mostramo-vos o resultado da votação da nossa redacção para a eleição dos melhores álbuns do ano que hoje termina. É um top 10 nacional e um top 10 internacional que vos espera, que depois esperamos que discutam aficadametne connosco quando os digerirem por completo!
 
– Isto tudo, e ainda nem começámos a escavar a superfície no que diz respeito a grandes figuras para entrar em 2019 em grande com a LOUD!. Que tal o King Diamond, também? É verdade, foi-nos dada a oportunidade de ver antecipadamente o novo DVD ao vivo do Rei na íntegra, e ficámos tão maravilhados que estivemos um bocado à conversa com o cavalheiro, que continua tão falador e entusiasta quanto nos lembrávamos.
 
– Outra grande figura, e esta nacional, o pioneiro do metal nacional Paulo Barros está de regresso aos discos com o seu projecto Barros, e ainda aproveita para dar alguns conselhos às novas gerações. Prestem atenção! E a dedicação à produção nacional não se fica por aqui – fomos ainda falar com os Sardonic Witchery (via Texas, mas liderados por um português!), com os New Mecanica, e nas rubricas habituais temos Studio Report com Juseph, LOUD! DJ com Annihilation e a Mixtape do Miguel Inglês, dos Equaleft.
 
– No lado negro da força, também fomos à escuridão primordial. Venom! Há lá nome mais lendário na música extrema? O Cronos continua cheio de pica, apesar de considerar que o trio britânico atingiu agora, finalmente, a maturidade, e «Storm The Gates» é a prova mais recente disso.
 
– Outro nome que tem ganho, por direito próprio, uma dimensão lendária ao longo das décadas, são os gregos Rotting Christ. Sempre emocional e com uma ligação intrínseca a Portugal, Sakis Tolis contou-nos tudo sobre o novo «The Heretics». Non serviam!
 
– E mais, mais, mais! Conversas com Soilwork, Dirge e Cattle Decapitation, um Tesourinho dos Ensorcelor, os concertos do Under The Doom Festival, dos Helloween, dos Slayer ao vivo na Irlanda, dezenas de reviews, notícias e tudo o mais que precisarem para recuperar da bombástica passagem do ano. Nas bancas dia 2, não percam a primeira LOUD! de 2019!
Fazer Comentário