NÚMERO ACTUAL

Finalmente materializa-se um dos projectos mais ambiciosos alguma vez orquestrados (pun intended) por uma banda de heavy metal – “aquele” álbum dos Blind Guardian, com o nome enriquecido de Blind Guardian Twilight Orchestra para a ocasião, que Hansi Kürsch e André Olbrich tinham pensado em fazer ainda antes do «Nightfall In Middle-Earth», é agora uma realidade, e a LOUD! não poderia deixar de lhe dar todo o destaque merecido. Uma história cativante, uma banda-sonora para um épico cinematográfico que (ainda) não existe, uma execução grandiosa e à altura do que os seus criadores e os milhares de fãs dos Blind Guardian sonharam – «Legacy Of The Dark Lands» é tudo isso e muito mais, e coube ao Jorge Botas sentar-se com o Hansi para sabermos tudo sobre esta grande obra que vem fechar o ano da melhor maneira.

Mesmo com esta sombra enorme, ainda houve no entanto muitas outras bandas que mereceram o seu espaço na última LOUD! de 2019. A saber:

– Os Blood Incantation, que parece que vieram revolucionar o death metal com o seu novo álbum. Já apontado por muitos como um dos melhores do ano – e não percam a LOUD! de Janeiro para saber, como sempre, quais os discos que chegaram à nossa própria lista de melhores do ano -, «The Hidden History Of The Human Race» estava mesmo a pedir uma conversa profunda e transcendente com os seus criadores.

– Os Airbourne, que pararam de rockar só por um segundo para percorrerem connosco toda a sua discografia num artigo muito especial de retrospectiva.

– E falando de death metal, temos ainda os Strigoi, a banda nova do Greg Mackintosh dos Paradise Lost, que vem “substituir” na perfeição os extintos Vallenfyre.

– Os Avatarium que, mesmo sem Leif Edling na formação (ainda que envolvido nos afazeres da banda mesmo assim), continuam o seu caminho evolutivo, conforme nos contou a poderosa cantora Jennie-Ann Smith.

– Os irrequietos Leprous, que têm em «Pitfalls» mais um exemplo de como nunca hão-de fazer duas vezes o mesmo disco.

– E muitas outras… incluindo, como é óbvio, o numeroso contingente nacional. Para esta LOUD! #225, a lusofonia manifesta-se no crust contestatário dos Simbiose, no sinistro darkwave dos Wildnorthe, na negritude pós-tudo dos Wells Valley, e na coragem dos punks Artigo 21 que desbravaram o desafio do LOUD! DJ com uma classe desarmante. Para o restante dilúvio de entrevistas, rubricas, notícias, reportagens e reviews, é dar um pulinho às bancas já no próximo dia 2, que está tudo na LOUD!. Não percam!

Leave Comment