NÚMERO ACTUAL

Faz download da LOUD! #231 aqui!

Num 2020 que parece não planear dar-nos um momento de sossego ou paz que seja, por todas as razões e mais alguma, tem sido, confessamos, um esforço suplementar focarmo-nos naquela que é a nossa missão – a de partilharmos convosco o melhor da música pesada todos os meses. A nossa pequena mas dedicada equipa tem sido inexcedível, e mesmo sem termos direito aos milhares de Euros de “apoio” que foram criteriosamente (?) distribuídos a alguns media, cá estamos mais uma vez, eternamente gratos a todos os que nos têm ajudado ao contribuir para o nosso crowdfunding (que ainda decorre aqui), com mais uma edição plena de bandas e álbuns entusiasmantes que nos vão ajudando a todos a passar estes dias mais difíceis que o costume.

A LOUD! de Junho será, uma vez mais, publicada de forma apenas digital, nos moldes habituais dos últimos dois meses, a última (até ver – esperemos que o vírus e a crescente liberdade que vamos tendo não nos obrigue a todos a uma inflexão dolorosa de percurso) desta triste “trilogia da pandemia”, já que planeamos voltar ao muito saudoso formato físico já com a edição de Julho.

E se há banda capaz de simbolizar a tenacidade e a perseverança que precisamos nesta altura, enquanto ao mesmo tempo também nos oferece escapismo e fantasia, são os holandeses Carach Angren. Largamente ignorados durante os primeiros anos da sua carreira, foi já na década de 2010 que começaram finalmente a ver os seus esforços recompensados, sem grandes mudanças de direcção ou maluquices desnecessárias para capturar atenções. Não, foi mesmo por carolice que o duo fulcral da banda, Ardek e Seregor, continuou com as suas imagens de marca, a sua forte imagem e o seu afiado e desafiante black metal sinfónico, e chegam agora ao seu sexto álbum, «Franckensteina Strataemontanus», cheios de confiança e personalidade, com uma fiel legião de fãs a apoiá-los, um nome grande do circuito europeu e prioridade de uma das editoras mais importantes da nossa cena, a Season of Mist. Mais do que altura para os celebrar devidamente através de uma conversa animada com o “mastermind” Clemens “Ardek” Wijers.

Como sempre, no entanto, há muito mais para digerir nesta refeição de várias etapas que é a LOUD! #231:

– Mais um dos nossos ESPECIAL LUSOFONIA, para começar! Muito nos agrada quando a produção nacional em determinada altura é tanta que merece ser agrupada nestes especiais, e estamos num desses bons períodos, apesar de tudo. Dentro do black metal que dá mote à capa, temos os IRAE, veículo principal de expressão do hiper-produtivo Vulturius, que volta a demonstrar toda a sua personalidade numa entrevista em que não faz prisioneiros. Também mais ou menos dentro desse espectro, mas a fugir para o noise e para o experimentalismo soturno, estão os recentes C a n d u r a, já no seu segundo lançamento e claramente apontados para voos bastante altos no underground mais obscuro. Para além desses dois nomes saídos das sombras, temos ainda conversas com os lendários Sacred Sin, reunidos novamente com o guitarrista Tó Pica e com um belo EP a assinalar a ocasião, e a Patrulha Do Purgatório, banda formada por pessoal já com muitos anos disto e que a cada ano e cada lançamento que passa se vai tornando mais relevante e mais séria. A completar o pelotão nacional, há ainda os Gatos Pingados, hardcore à séria de Almada que finalmente tem o seu álbum de estreia prontíssimo.

– E o álbum novo dos Vader, hein? Que estalada na tromba! Curto e grosso, ou como o impagável Peter gosta de descrever a sua música, um fortíssimo “chuto no rabo”. São três páginas ao longo das quais o frontman dos polacos mostra uma abertura invulgar para falar da sua carreira e dos seus objectivos.

– Falando em “carreira”, duas bandas importantíssimas para o respectivo público que os apoia são alvo de artigos retrospectivos nesta edição. Por um lado, o Pedro Silva, com uma ajudinha do José M. Rodrigues, oferecem-nos uma bela análise a um aniversariante de peso, o «White Pony» dos Deftones, que cumpre duas décadas de existência no dia 20. Por outro lado, bem mais sinistro, o Luís Pires mergulha de cabeça na discografia dos Gnaw Their Tongues e não só sobrevive, surpreendentemente, como ainda nos oferece um guia indispensável para quem quer melhor descobrir este projecto de black/noise verdadeiramente assustador.

– Punhos ao alto, entretanto, porque os Ensiferum têm um álbum novo heróico como habitualmente, e este até tem um tema a unir todas as batalhas épicas que nele se passam – é ao mundo das lendas náuticas que os finlandeses foram buscar inspiração desta vez.

– E sem querer bater muito na mesma tecla, 2020 não tem mesmo sido fácil para ninguém, e nem uma banda gigante e estabelecida como os Within Temptation escapa à situação – daí termos ligado à Sharon Den Adel para ela nos contar como é que os holandeses estão a dar a volta aos cancelamentos de concertos e ao adiamento daquele que viria a ser o álbum novo da banda.

– Já parece muita coisa, não é? Mas não estávamos a brincar quando dissemos que a nossa equipa tem sido inexcedível. Dos Vampire aos Green Carnation, dos ROTTING OUT aos The Wise Man’s Fear, dos Palaye Royale aos Bleeker, há imensas e variadas bandas em destaque, para recordar, descobrir ou conhecer melhor. E depois, ainda há a sempre morbidamente fascinante curiosidade histórica proporcionada pelo David Soares na Marginália e Imaginário, o Tesourinho Pertinente que nos remete para o black metal sueco do final do século passado, e a habitual montanha de reviews e notícias para vos ajudar na vossa orientação pelo densamente populado mundo da música pesada. Tudo grátis, a partir de amanhã. Porque vocês merecem. Obrigado pelo apoio!

Leave Comment