NÚMERO ACTUAL

Entrando em mais um ano novo, que banda melhor para dar um feeling de rejuvenescimento e ao mesmo tempo manutenção de tradições do que os Sepultura? Exemplo de resiliência, mantendo-se firmes apesar de muitas críticas e conjecturas, os brasileiros hoje liderados por Andreas Kisser vão entrar no novo ano com a energia e vitalidade do costume, ainda por cima armados com o novíssimo «Quadra». A primeira LOUD! de 2020 é então palco para uma conversa honesta e aprofundada sobre o momento actual do lendário quarteto. Mas, como sempre, há mais para descobrir no #226…

– Peripécias do destino, há Cavaleras com fartura na edição encabeçada pelos Sepultura. Não só vos damos a reportagem do último concerto dos manos ex-vocês-sabem-quem no nosso país, que já promete entrar para a galeria dos inesquecíveis, como também conversámos com os Petbrick, um dos projectos mais importantes de Igor na actualidade.

– Ainda que tecnicamente não seja agora a viragem da década, não há como olhar para 2020 como o primeiro ano de um época nova, e numa altura de muitas renovações, nada como olhar para o futuro e para duas das bandas que certamente irão liderar a vaga futura do metal – a níveis diferentes de underground/overground, chamemos-lhe assim, os Ghost e os Midnight, que nos visitaram ambos durante 2019, têm tudo para capturar a imaginação de gerações futuras e introduzir as maravilhas da musica pesada a milhares de ouvidos frescos nos tempos mais próximos. E o Cardeal Copia e o Athenar são também brilhantes conversadores, conforme comprovámos mais uma vez.

– A produção nacional continua a ser um foco permanente para a LOUD!, e mantemos sempre os sentidos alerta para vos dar a conhecer todas as melhores propostas que brotam do nosso fértil solo metálico. Desta vez, demos voz aos Anifernyen e aos Basalto, para além de termos submetido os promissores Falcata ao desafio do LOUD! DJ.

– Parece muito? Não é! Muito seria se conversássemos com dois ex-Type O nos Silvertomb, se pedissemos aos Poets of the Fall para percorrerem a sua discografia toda num artigo de retrospectiva, se tivessemos os Haunt, os Suicide Silence, os Rorcal e os Eye Flys a falarem-nos dos seus discos novos, o David Soares a desenterrar mais um episódio perdido nas brumas do tempo (desta vez da segunda guerra mundial), o Pedro Silva a debitar amor aos Poison the Well no Tesourinho, e mais dezenas e dezenas de reviews, reportagens, previsões de 2020 e notícias! Isso é que era muito, e calha bem, que é mesmo disso que a LOUD! de Janeiro é feita.

– E mesmo assim falta qualquer coisa, não falta? Pois claro, falta o BALANÇO 2019! É altura de descobrir quais foram os discos do ano que hoje finda que mais marcaram a redacção da LOUD!, e já estamos em pulgas para saber as vossas opiniões em relação aos nossos top 10 internacionais e nacionais.

Leave Comment