Marta Louro

Marta Louro

Desde o primeiro piscar de olhos que se lembra de ouvir, e cantarolar, a «Dirty Deeds Done Dirt Cheap» com o pai. Cresceu a ouvir bandas que variavam entre AC/DC, Motörhead e Judas Priest, passando por uma obsessão saudável por Mike Oldfield – o «Screaming For Vengeance» e o «Platinium» são concorrentes a álbuns mais ouvidos até hoje. Aos treze anos pegou na guitarra, mas anos mais tarde concluiu que não era para ela. Soprou o pó à câmara dos pais e desde aí não mais parou, juntando a caneta à bagagem pelo caminho.

Nenhum Conteúdo Disponível