Terça-feira, Maio 17, 2022

CRÍTICAS

Críticas a álbuns e eventos

SpeeDemon

O ritmo de concertos tem aumentado exponencialmente nos últimos tempos, o que é um excelente sinal, dando a desejada sensação de normalidade que faltava após mais de dois anos de pandemia. Este Sábado foi exemplo disso mesmo, com diversos eventos a acontecer, e com um deles a ser o regresso do MASSACRE METAL FEST em Á-dos-Loucos, no concelho de Vila Franca de Xira. Um regresso com um estrondo, já que estava prevista uma autêntica maratona com dez bandas nacionais num cartaz de qualidade bastante elevada, e essas previsões bateram certo, em ambos os pontos: a maratona (para a duração da...

Ler mais
Jonathan Húlten

Uma das coisas que vamos percebendo sobre a música, à medida que amadurecemos e, se tudo correr bem, formos expandindo os nossos horizontes, é que o "peso", essa característica que tanto prezamos e que tantas vezes atribuímos com quase exclusividade ao género do metal que a maior parte de nós/vós tem como origem, pode ter muitas formas. Muito barulho, ou blastbeats incessantes, ou seja o que for, não constitui por si só peso musical. Sim, claro que as nossas bandas favoritas que usam esses factores são incomensuravelmente pesadas, e é assim que gostamos delas. Mas tal como um tipo aos...

Ler mais
Filii Nigrantium Infernalium

Então e, passado aquele primeiro dia, o da retoma, o da excitação de voltar a pisar o terreno profano de Barroselas, a meca do metal extremo nacional, o dos reencontros e reatamentos, o entusiasmo continua o mesmo? Tirando os óculos cor-de-rosa, adicionando eventuais ressacas, com os mais anti-sociais de entre nós já começando a estar fartos de pessoas, de levar com cerveja em cima, dos stagedivers que não nos deixam ver os concertos em paz... Pode-se dizer que o SWR Feast continuou a ser esse sucesso todo? Sim, pode-se. If anything, este segundo dia ainda foi melhor, e não foi...

Ler mais
SWR FEAST (Dia 1) @ Barroselas | 29.04.2022 [reportagem]

Podemos não ter ainda voltado à "normalidade" a 100%, mas poucas coisas nos fazem sentir por dentro que o pior já passou do que estar a caminho de Barroselas para mais uma edição do SWR. Feast, em vez de Fest, oito bandas por dia em vez de demasiadas, possibilidade de ver todas e estar na caminha antes das 2 da manhã, só dois dias, mas whatever, SWR é SWR. Isso fica amplamente patente assim que se mete o pé no recinto - limitado à SWR Arena no exterior como palco "principal" e ao SWR Cafe convertido em palco "secundário" -...

Ler mais

Não deixa de ser sincronismo poético que ROSS THE BOSS, o guitarrista original dos MANOWAR, visite o nosso país quando a sua antiga banda está agendada para comparecer no Laurus Nobilis também este ano. Para muitos, a melhor era dos auto-proclamados Kings Of Metal foi mesmo quando Ross Friedman fazia parte da formação. Décadas passaram, mas esses anos iniciais permaneceram na memória de muitos e são incontornáveis na história do heavy e do power metal, pelo que é natural que o seu trabalho a solo reúna interesse nesta altura. Interesse que não esmorece pelas frequentes passagens pelo nosso país, e...

Ler mais
Autopsy @ SWR FEAST, Barroselas | 30.04.2022 [reportagem]

E o festival continuou a acontecer! Parafraseando o nosso caro Emanuel na sua análise de ontem ao concerto dos headliners do primeiro dia, os polacos Mgła, o SWR sobrevive de forma estóica. Seja Feast ou Fest, seja com mais ou menos bandas, seja com palcos maiores ou mais pequenos, seja enfiados no SWR Café ou até mais à vontade do que seria de prever, apesar da afluência considerável, na arejada SWR Arena, o que interessa é que o espírito estava lá todinho. Não interessa se foram "só" dois dias e dezasseis bandas, num evento que até já chegou a ter...

Ler mais
PINTURAS NEGRAS: «Lord Of Rats» [estreia exclusiva]

Depois de «God Is Data», o primeiro álbum dos PINTURAS NEGRAS, de 2016, o trio surge agora com um disco ainda mais estranho e ousado. «Bestia: An Exercise In Cowardice And The Evil Within», assim se chama o trabalho para 2022, foi gravado já em 2017, no Stone Sound Studio em Rebordosa. Este registo “dá seguimento à filosofia experimental do projecto”, segundo os póprios. Ideia e filosofia, começaram a formar-se no Porto, em 2013. Inicialmente, as ideias partilhadas assumiram a forma de maquetas que traduziam o desejo de percorrerem sonoridades menos visitadas pelos músicos nos seus outros projetos. Brincadeiras musicais,...

Ler mais
WATAIN: «The Agony & Ecstasy Of Watain» | Nuclear Blast, 2022 [review]

"Seven deadly sinsSeven ways to winSeven holy paths to HellAnd your trip beginsSeven downward slopesSeven bloodied hopesSeven are your burning firesSeven your desires"Iron Maiden - «Moonchild», 1988 Existem diversos significados para o número sete, sendo alguns deles enumerados na introdução acústica de «Moonchild», que abre o sétimo álbum dos Iron Maiden, «Seventh Son Of A Seventh Son». O número é referido 77 vezes no Velho Testamento e, tendo criado o mundo em seis dias, o criador terá descansado ao sétimo dia, tornando o algarismo representativo da perfeição e da conclusão. No domínio da numerologia, representa a totalidade do universo e...

Ler mais
THE LORD: «Forest Nocturne» | Southern Lord, 2022 [review]

Não será propriamente uma surpresa para ninguém afirmar que aquilo que o Greg Anderson tem vindo a fazer ao longo da carreira se encontra entre o melhor que o género já produziu. Que género? Não sei, ninguém sabe, nem vale a pena saber - e quem gosta de chamar nomes às coisas arrepende-se sempre mais tarde ou mais cedo quando se engana no caminho para o Bairro Dos Burgueses Asseados e dá consigo perdido algures nas florestas de distorção pantanosa que Anderson tem vindo a conjurar há já mais de 40 anos. Neste grande guarda chuva a que chamamos música...

Ler mais
ANALEPSY: «Quiescence» | Vomit Your Shirt / Miasma Records / Agonia Records [review]

Fazer um segundo disco é um misto de superação, afinação e definição. Neste caso, o aspecto da superação é, desde logo, óbvio, pois tudo que estava na cabeça e foi transposto no momento do primeiro disco carece sempre de ser melhorado. A experiência aumentou e o(s) músico(s) tiveram a primeira experiência de ver o resultado final das suas ideias. Será mau sinal quando uma banda jovem não encontra necessidade de superar o trabalho primário. A afinação será talvez o lado menos visível, mas também facilmente explicável. Métodos que até resultaram precisam apenas de ser revistos, corrigindo erros de processo, por...

Ler mais
Pág. 1 de 7 1 2 7

Bem vindo de volta!

Entra na tua conta

Criar Nova Conta

Preenche os formulários para registar

*Ao se registrar em nosso site, você concorda com os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

Recupera a tua password

Por favor introduz o teu utilizador ou endereço de e-mail para reiniciar a password