IRON MAIDEN: Steve Harris escolhe oito canções que mudaram a sua vida

O britânico Steve Harris não é aquele tipo de músico que gosta de ficar a descansar sobre os louros conquistados. De há uns anos a esta parte, quando não está em digressão pelo mundo com os IRON MAIDEN, a lendária banda de heavy metal que formou em 1975, o ícone do East End gostava de ficar bem perto dos fãs de rock e metal em pequenos clubes suados com a sua banda paralela, os BRITISH LION. Ora bem, provas faltassem da dedicação de Harris à causa, aqui está mais uma de que, para o músico de 65 anos, as canções continuam a ser um verdadeiro estilo de vida. Numa conversa recente com a revista britânica Metal Hammer. o músico enumerou oito canções que tiveram uma enorme influência na formação da sua personalidade como músico. Podes conferir as suas selecções em baixo.

GENESIS, «Supper’s Ready» do Genesis
[«Foxtrot», 1972]

Fui apresentado aos Genesis por alguém na escola que me recomendou o «Trespass». Fui atrás desse disco e depois comprei o «Nursery Crime» e o «Foxtrot». A «Supper’s Ready» encerra o «Foxtrot» e serve para a banda mostrar ao que veio, é uma obra musical incrível. Vi os Genesis na digressão deste disco“.

JETHRO TULL, «Thick As A Brick, Part 1»
[«Thick As A Brick», 1972]

Outro épico! Há muita coisa a acontecer nesta canção, muitas mudanças de tempo, partes lentas e partes rápidas, luz e escuridão, e todas aquelas dinâmicas que sempre tentei trazer para os Maiden. Os primeiros álbuns dos Tull são fantásticos, ainda são uma banda que adoro e tento sempre ir aos seus concertos“.

UFO, «Love To Love»
[«Strangers In The Night», 1979]

Os UFO têm muitas grandes músicas e álbuns, mas esta versão em particular, do «Strangers In The Night», mexe realmente comigo“.

WISHBONE ASH, «Throw Down The Sword»
[«Argus», 1972]

O «Argus» é um dos meus álbuns favoritos de todos os tempos, e cada canção dele é fantástica. Os Wishbone Ash foram uma grande influência para mim, não apenas pelas guitarras gémeas mas pelas melodias, vozes e pelo baixo do Martin Turner também“.

FREE, «Mr. Big»
[«Free Live!», 1972]

Adoro profundamente os Free. Tiveram um papel muito importante na minha vida e tenho todos seus álbuns. O Andy Fraser foi uma grande influência; não sou fã de solos de baixo, mas este que ele faz na «Mr. Big» é maravilhoso“.

GOLDEN EARRING, «Twilight Zone»
[«Cut», 1982]

Os Golden Earring são uma de minhas bandas favoritas de todos os tempos, e o baixista Rinus Gerritsen foi uma grande influência, por isso poderia escolher qualquer música deless

THE WHO, «Won’t Get Fooled Again»
[«Who’s Next», 1971]

Sou um grande fã dos The Who, e adoro absolutamente tudo que fizeram ao longo dos anos. Podia ter escolhido 40 ou 50 músicas deles“.

YES, «And You And I»
[«Yessongs», 1973]

A versão de estúdio da «And You And I» do «Close To The Edge» é brilhante, mas esta ao vivo, do «Yessongs», é ainda melhor“.