LED ZEPPELIN

LED ZEPPELIN: 55 anos de «I»

A 12 de Janeiro, mas em 1969, os LED ZEPPELIN assinaram um ponto de viragem muito significativo na evolução do hard rock e do heavy metal.

Lançado originalmente a 12 de Janeiro de 1969 nos Estados Unidos e a 31 de Março do mesmo ano no Reino Unido pela Atlantic Records, o primeiro álbum dos LED ZEPPELIN celebra hoje 55 anos. Gravado pouco tempo após a formação do grupo, o disco foi produzido pelo guitarrista Jimmy Page nos Olympic Studios, em Londres, no Reino Unido, entre os meses de Setembro e Outubro de 1968.

A estreia homónima da banda formada por Page, Robert Plant, John Paul Jones e John Bonham revelou um som totalmente formado e distinto desde o início, que levou ao extremo os blues eléctricos, pesados e distorcidos explorados por Jimi Hendrix, Jeff Beck e Cream, com os LED ZEPPELIN a expelirem rock orientado para as guitarras, mas com um pendor majestoso, construído em torno de riffs simples e memoráveis ​​e ritmos pesados. No entanto, o maior segredo para o sucesso do grupo era a subtileza, a forma como exploravam os sombreados, a composição muito dinâmica e os ganchos do tamanho do mundo.

Logo neste primeiro registo, os LED ZEPPELIN mostraram-se capazes de explorar uma imensidão de estados de espírito diferentes e, mesmo que os blues psicadélicos de «Dazed and Confused», «You Shook Me» ou «I Can’t Quit You Baby» tenham atraído mais atenção inicialmente, o resto do álbum é uma indicação bastante melhor do que viriam a fazer depois.

«Babe, I’m Gonna Leave You» alterna versos folk com refrões violentos; «Good Times Bad Times» e «How Many More Times» carregam grooves colossais; «Your Time Is Gonna Come» é um dos primeiros hinos hard rock; «Black Mountain Side» é pura folk britânica; e «Communication Breakdown», com o seu ritmo frenético, soa a um ataque sonoro quase punk. Sem ser um registo tão variado quanto alguns dos álbuns posteriores, o «I» marcou um ponto de viragem muito significativo na evolução do hard rock e do heavy metal.