NÚMERO ACTUAL

 

E pronto, já podemos dizer que sobrevivemos a 2020. Infelizmente, não imaginamos que uma mera mudança de número na data possa resolver alguma coisa por si só, mas depois de tudo o que temos passado – e esta primeira pessoa do plural vale para qualquer interpretação, seja mesmo todos-todos, ou a indústria musical, ou a LOUD!, ou qualquer um que nos esteja a ler -, não conseguimos evitar a atribuição de algum simbolismo. Num ano em que nos vimos forçados a, pela primeira vez em vinte anos de publicação, interromper a nossa presença em banca durante três meses estritamente digitais, em que vimos bandas, festivais, salas, revistas, sites, técnicos, promotores e demais agentes do nosso universo da música pesada a desmoronar à nossa volta, podem crer que o simples acto de existir, no primeiro mês de 2021, é uma alegria suprema para nós. Uma alegria que nunca demos por garantida, e agora obviamente ainda menos, e uma alegria que sabemos que só devemos a todos os que ainda nos apoiam e caminham connosco. Que nos desculpem os Tribulation (Official), mas o grande destaque da LOUD! #238, que já está nas bancas no momento em que lerem isto, são todos vocês – os que nos lêem, os que compram a revista, os que comentam nas nossas redes sociais e clicam nos links dos nossos artigos, os que nos contactam com opiniões e ideias e propostas, enfim, todos os que aceitaram ir fazendo este caminho tortuoso connosco. A todos o nosso profundo agradecimento, e que o fim do caminho ainda esteja longe, é o que desejamos.

Eh pá, e sim, falámos com dois dos Tribulation (Official), e claro que foi altamente. Por esta altura já toda a gente sabe que o Jonathan Húlten saiu da banda, e eles não se escusaram a falar dessa situação delicada, mesmo numa altura em que o novo álbum «Where The Gloom Becomes Sound» deveria ser a única prioridade. Porque as bandas são pessoas, acabou por haver muito mais para conversar, e ficou bem claro que estes filhos da noite ainda tencionam continuar a assombrar-nos por muito tempo.

– O outro grande destaque desta nova edição é o já famoso balanço de fim de ano da LOUD!. Sim, 2020 foi isso tudo, mas também testemunhou o lançamento de grandes discos, e como sempre nós juntámos toda a redacção e elaborámos um guia para que possam de forma concisa relembrar, tanto a nível nacional como internacional, toda a que consideramos ter sido a melhor música do ano que passou.

– Com isto tudo, ainda sobraram páginas para nos armarmos em Vikings com os Wardruna, para tomarmos o pulso aos Jinjer, banda de palco por excelência que teve que aprender a viver sem ele, Para visitarmos os “nuestros hermanos” thrashers Angelus Apatrida, para mais uma conversa com os My Dying Bride que teimam em ser geniais e relevantes, agora com um maravilhoso EP a fechar o ano de edição de «The Ghost Of Orion», ou para uma troca de ideias com o baixista dos Megadeth, David Ellefson, sobre o projecto ao qual dá o nome.

– Também em termos nacionais o contingente é de respeito, e há belas conversetas com os Névoa, os Miss Lava, os Unfleshed e os ThrashWall.

– E há mais de tudo! Mais bandas, mais rubricas, mais críticas e notícias, para todos entrarmos em 2021 da melhor forma. Já nas bancas! Esperamos que todos tenham boas entradas, na nossa companhia.

Fazer Comentário